O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi retirado de emergência quando falava aos jornalistas na sala de imprensa da Casa Branca, em Washington, esta segunda-feira. Segundo a agência Reuters, a evacuação ter-se-à devido a um tiroteio que ocorreu perto da residência presidencial.

A confirmação do tiroteio veio do próprio Donald Trump, que, minutos depois regressou à sala de onde tinha sido retirado, acrescentando que um suspeito tinha sido baleado pelos serviços secretos porque estaria na posse de uma arma de fogo.

Foi um tiroteio fora da Casa Branca. Parece estar sobre controlo. Mas houve mesmo um tiroteio, e alguém foi levado para o hospital. Não sei a condição dessa pessoa", acrescentou o presidente.

Donald Trump informou também que o tiroteio ocorreu perto da vedação da residência presidencial, antes de dizer que, até ao momento, não se registam mais feridos do incidente.

Tiroteio junto à Casa Branca

O líder norte-americano foi retirado por agentes dos serviços secretos, que também escortaram para fora da sala o secretário de estado do Tesouro, Steve Mnuchin e o diretor do do gabinete de Gestão e Orçamento. Os governantes foram levados para a Sala Oval.

Donald Trump elogiou o trabalho dos serviços secretos, referindo que não se assustou com o episódio.

Segundo a agência Associated Press, o tiroteio ocorreu entre a 17.ª rua e a Avenida da Pensilvânia, um ponto de interceção que fica num dos extremos do quarteirão da Casa Branca. Àquela agência, fonte dos bombeiros de Columbia District disse que a vítima resultante do tiroteio foi transportado para o hospital com ferimentos graves, possivelmente críticos. As autoridades investigam um eventual histórico do suspeito relacionado com perturbações mentais.

O ponto azul marca o local onde terá ocorrido o tiroteio
António Guimarães