O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, revelou uma fotografia do cão que ajudou na operação que estava destinada a matar o líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi

O animal usado pelos militares norte-americanos que tinha ficado ferido na operação já recuperou e está de volta ao serviço ativo.

O general Mark Milley disse à comunicação social que o animal, cujo nome não revelou nem a linhagem, “realizou um serviço tremendo” ao detetar e perseguir Abu Bakr al-Baghdadi num túnel debaixo do complexo onde habitava.

Conseguimos mostrar uma fotografia do cão que fez um excelente trabalho na captura e morte do líder do Estado Islâmico", afirmou Donald Trump, no Twitter.

Al-Baghdadi fez-se explodir, uma ação que provocou a morte a três crianças e aparentemente feriu o cão.

Milley adiantou que o cão tinha ficado “ligeiramente ferido”, mas está a recuperar e voltou ao serviço ativo em local que não revelou.

Milley disse ainda que os EUA “estão a proteger a identidade do cão”, mantendo toda a informação sobre o cão classificada por enquanto.

/ AG