Uma ativista negra foi encontrada morta este sábado, na cidade de Tallahassee, estado da Florida. Com Oluwatoyin Salau, de 19 anos, estava Victoria Sims, de 75, uma ativista caucasiana que também foi encontrada sem vida no mesmo local. Ambas as mortes estão a ser como homicídios, e a polícia já tem um suspeito.

Aaron Glee, de 49 anos, foi detido pelas autoridades, segundo um comunicado da polícia de Tallahassee.

A última vez que Oluwatoyin Salau tinha sido vista foi a 6 de junho. Nesse mesmo dia, a jovem partilhou um post no Twitter, onde conta de que estava a ser assediada por um negro, que lhe "ofereceu boleia e um lugar para dormir".

Oluwatoyin Salau fazia parte do movimento Black Lives Matter, que voltou a ganhar força depois da morte do afro-americano George Floyd às mãos da polícia norte-americana. Uma onda de protestos tem surgido contra a morte da ativista.

António Guimarães