Um casal norte-americano apontou armas a manifestantes na cidade de St. Louis, estado do Missouri, Estados Unidos, este domingo. O grupo marchava em direção da casa da autarca local, Lyda Krewson, pedindo-lhe que se demitisse, depois de a mulher ter divulgado os nomes e moradas de vários cidadãos que pediram a paralisação do financiamento da polícia.

Um vídeo amplamente partilhado nas redes sociais mostra a mulher com uma pistola, enquanto o homem carrega aquilo que parece ser uma arma do tipo M16, muito utilizada nas forças armadas norte-americanas.

Segundo a agência Associated Press, ainda não se sabe se a polícia tomou conta da ocorrência.

A manifestação juntou pelo menos 500 pessoas, e foi possível ouvir "demita-se Lyda, e leve os polícias consigo".

Ainda antes do protesto, mas já na sequência de um coro de críticas, a autarca de St. Louis pediu desculpas, acabando mesmo por apagar o vídeo em que divulgava os nomes e moradas.

Este é mais um episódio que surge na sequência da morte do afro-americano George Floyd às mãos da polícia. Desde então, protestos têm-se intensificado por todos os Estados Unidos, com os manifestantes a exigirem o fim da violência excessiva por parte das autoridades.

Uma peitição online que pede a demissão de Lyda Krewson, que está no poder desde 2017, já conta com mais de 43 mil assinaturas.

Como líder, não devia fazer uma coisa daquelas. É justo que lhe façamos uma visita a casa", afirmou Rasheen Aldridge, um dos representantes eleitos pelo estado do Missouri para o poder local.

Se por si só, a situação já era polémica o suficiente, um tweet de Donald Trump veio inflamar ainda mais a discussão. Embora tenha optado por não escrever nada, fez um retweet em que partilha o momento em que o casal sai de casa armado.

António Guimarães