O furacão Ida já provocou, pelo menos, dois mortos no Luisiana, nos EUA, mas o número de vítimas mortais confirmadas “vai continuar a subir”, disse esta segunda-feira uma porta-voz do Governador do Estado.

Um condutor que morreu afogado em Nova Orleães, depois de a sua viatura ser ‘engolida’ pelas águas, e uma pessoa atingida pela queda de uma árvore, em Baton Rouge são as vítimas confirmadas, mas com as estradas intransitáveis e as comunicações afetadas ainda não é possível ter uma noção exata do rasto de destruição.

Segundo o gabinete do governador John Bel Edwards, os danos provocados pelo furacão Ida na rede elétrica são “catastróficos” e podem demorar várias semanas a serem reparados.

Assim, milhares de pessoas ficaram sem sistemas de refrigeração ou ar condicionado, numa altura em que os serviços de meteorologia preveem temperaturas máximas acima dos 30 graus, a meio da semana, naquela região.

Equipas de resgate procuram, em centenas de barcos e helicópteros, alcançar pessoas que ficaram cercadas pelas cheias e se refugiaram nos sótãos ou telhados.

Muitas conseguiram, apesar das falhas no fornecimento de energia e comunicações, partilhar nas redes sociais a sua localização exata para que as equipas de resgate pudessem encontrá-las.

Mais de um milhão de casas no Luisiana e no Mississípi, incluindo toda a cidade de Nova Orleães, ficaram sem energia elétrica quando o Ida, um dos furacões mais fortes que já atingiram o continente americano, avançou sobre os Estados no domingo e esta segunda-feira, antes de perder força, transformando-se numa tempestade tropical.

Cerca de 255 mil casas ficaram, também, sem abastecimento de água indicou o Departamento de Saúde do Luisiana.

Quatro hospitais foram danificados e 39 postos médicos estão a funcionar com recurso a geradores, disse a Agência Federal de Gestão de Emergências.

Os ventos de cerca de 230 quilómetros por hora fizeram do Ida o quinto furacão mais forte de sempre a atingir o território dos EUA, mas baixaram para cerca de 64 quilómetros por hora a meio do dia desta segunda-feira.

Os meteorologistas esperam, no entanto, que ganhe velocidade na noite desta segunda-feira, antes de atingir os vales dos rios Tennessee e Ohio, na terça-feira, a região montanhosa dos Apalaches, na quarta-feira, e a capital do país, na quinta-feira.

Na sexta-feira, o Ida deverá atingir a costa de Nova Inglaterra, após provocar, possivelmente, mais inundações e deslizamentos de terras à sua passagem.

O furacão Ida atingiu a costa do Luisiana precisamente 16 anos após o Katrina, tempestade que destruiu os diques de Nova Orleães e provocou a morte de cerca de 1.800 pessoas.

/ NM