O estado norte-americano do Minnesota apresentou esta terça-feira queixa em matéria de direitos humanos contra a polícia de Minneapolis, na sequência da morte de George Floyd numa intervenção policial. 

George Floyd, suspeito pela polícia de falsificar uma nota de 20 dólares (18 euros), morreu quando foi detido em Minneapolis, no norte dos Estados Unidos, há uma semana.

De acordo com imagens que já percorreram o mundo, um agente manteve-o imobilizado no chão, ajoelhado sobre o seu pescoço por quase nove minutos, enquanto Floyd dizia que não conseguia respirar.

O polícia, Derek Chauvin, 44, foi demitido, detido e acusado de homicídio. Os três outros polícias que participaram na detenção também foram despedidos, mas não foram até ao momento sujeitos a qualquer acusação.

Em várias cidades dos Estados Unidos acontecem protestos contra a violência policial e homenagens aos afro-americanos mortos pela polícia americana.

Esta terça-feira, 25 agentes da policia ficaram feridos nos protestos violentos nas ruas de Philadelphia. Também em St. Louis os protestos aumentaram de tom durante a madrugada, com quatro polícias a serem alvejados a tiro na sequência de protestos.

Desde quinta-feira mais de quatro mil pessoas foram detidas, há recolher obrigatório em várias cidades e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quer a guarda nacional nas ruas para acabar com os protestos, uma recomendação já rejeitada pelo governador da Virgínia.

Rafaela Laja