A Guarda Nacional dos EUA anunciou esta quarta-feira que foi autorizada a usar armas para garantir a segurança do Capitólio, no dia em que a Câmara de Representantes dos EUA discute um novo processo de destituição do Presidente Donald Trump.

A Guarda disse, em comunicado, que a autorização foi solicitada pelas autoridades federais e aprovada pelo secretário do Exército, Ryan McCarthy, e vai permitir que cerca de 15.000 militares estejam de alerta em Washington até à tomada de posse do Presidente eleito, Joe Biden.

A Câmara de Representantes dos EUA iniciou a discussão e vai votar de seguida a instauração de um processo de destituição ao Presidente Donald Trump, acusado de ter incitado um ataque ao Capitólio na passada quarta-feira.

Este procedimento segue-se a um pedido formal, discutido na terça-feira à noite, para que o vice-Presidente invocasse a 25.ª emenda da Constituição para retirar poderes a Trump, invocando os riscos da sua manutenção no cargo para a segurança do país, que Mike Pence recusou, alegando que não serve os interesses do país.

O artigo para o novo processo de ‘impeachment’ de Donald Trump - que, se vier a ser aprovado, como tudo indica, será o único Presidente a ser alvo de dois processos de destituição durante o mandato – foi apresentado na Câmara de Representantes, na segunda-feira, acusando o líder republicano de “incitação a insurreição” por ter induzido os seus apoiantes a assaltar o Capitólio, na passada quarta-feira.

/ HCL