Um calmo passeio nas areias de Wisconsin, nos Estados Unidos, acabou de uma forma inesperada quando um homem descobriu um cérebro embrulhado em papel de alumínio.

James Senda tropeçou no orgão, embrulhado e fechado com um adesivo, na quinta-feira enquanto procurava vidros-do-mar na costa de Racine. Suspeitando que o embrulho estivesse a esconder droga ou dinheiro, o homem decidiu espreitar.

Quando o abri pela primeira vez, fiquei tão chocado que fui incapaz de perceber do que se tratava.”, disse Senda em entrevista à CNN, sublinhando que levou a descoberta a alguns trabalhadores e que estes confirmaram a sua suspeita. “Isso é um cérebro. Ainda está fresco”, disse um deles.

Informada sobre o sucedido, a polícia local anunciou que o cérebro não é humano. Porém, os médicos encarregados de estudar o órgão disseram não saber a que animal pertence.

Alguns membros da comunidade de Racine suspeitam que o cérebro possa ter feito parte de um ritual para celebrar a morte. Tudo porque o embrulho continha dinheiro e flores. 

Ainda bem que fui eu que o encontrei e não uma avó ou  uma criança. Tenho 47 anos e ainda estou em choque”, confessou James Senda.

O cérebro, avançou Senda, era maior do que a sua mão e não parecia estar em estado de decomposição.