Oficiais da marinha norte-americana disseram a vários meios de comunicação dos EUA que Donald Trump pediu que o navio com o nome de John McCain fosse escondido durante a visita do presidente dos Estados Unidos ao Japão.

Donald Trump já negou ter feito este pedido, afirmando que não foi informado sobre nada relacionado com o navio John McCain durante a visita ao Japão, ressalvando que a primeira-dama, Melania Trump, também não teve conhecimento do caso.

O gabinete de informação da Marinha também já reagiu ao incidente, afirmando que "o nome de McCain não foi ocultado durante a visita do presidente dos Estados Unidos [ao Japão]".

O The New York Times avança, porém, que além de esconder o navio, foi pedido a alguns membros da tripulação que usavam bonés com o nome do barco que fossem para casa mais cedo. O jornal adianta ainda que, quando alguns desses homens tentaram assistir ao discurso do presidente norte-americano foram barrados pela segurança. 

John McCain e Donald Trump sempre tiveram uma relação conturbada.  McCain, que era um veterano da guerra do Vietname, onde foi preso de guerra, foi criticando Trump ao longo dos anos; a tensão subiu no ano de 2016, quando McCain retirou o apoio a Donald Trump para as eleições presidenciais. Pouco depois, Trump viria a responder às críticas: “Ele foi um herói porque foi capturado. Eu gosto de pessoas que não são capturadas”.

John McCain morreu em agosto de 2018, e até nessa ocasião Donald Trump afirmou que nunca fora fã do ex-senador .Na altura, o Washington Post avançou que Donald Trump teria impedido a Casa Branca de utilizar o termo "herói" para se referir a John McCain. Depois da morte de McCain gerou-se uma crise em torno da falta de reação de Trump, que acabaria por ceder e colocar a bandeira a meia haste, depois de muitas críticas.

Meghan McCain, filha de John McCain, já reagiu, afirmando que Trump não deixa o pai descansar em paz e por isso se vê obrigada a intervir.

 Trump é uma criança que vai sentir-se sempre profundamente ameaçado pela grandeza da vida incrível do meu pai”, escreveu no Twitter Meghan McCain.