Amber Kornak foi atacada por um urso-pardo, a 17 de maio, nas Montanhas Rochosas, no estado de Montana, nos Estados Unidos, mas conseguiu fugir, tendo caminhado três quilómetros com uma fratura no crânio. 

A mulher de 28 anos, que tinha o começado há apenas uma semana o trabalho, descrito por si como sendo de sonho, num laboratório de estudo de ursos-pardos, foi atacada pelas costas, como confirma a porta-voz do Serviço de Fauna e Peixes dos Estados Unidos, Jennifer Strickland, quando recolhia amostras para um estudo sobre o ADN do pêlo destes ursos.

Após o ataque do urso, a técnica conseguiu manter calma e caminhar com uma fratura no crânio durante quase três quilómetros até ao carro para pedir ajuda. 

De acordo com a porta-voz, é provável que a técnica não tenha ouvido o urso a avançar, por causa do barulho de um riacho próximo, mas acrescenta que Amber seguiu as regras ao levar um repelente para ursos e um dispositivo de comunicação que lhe permitiu pedir ajuda.

Amber Kornak encontra-se estável na unidade de cuidados intensivos do hospital regional de Kalispell, como conta a amiga Jenna Hemer, informando que Amber foi operado, numa cirurgia que durou mais de quatro horas. 

Jenna Hemer está agora a recolher fundos para pagar as despesas médicas, sendo que a técnica “está sem trabalho por tempo indefinido”.

Em seis dias, já foram recolhidos 37 240 dólares (cerca de 31 776 euros) dos 50 000 dólares (cerca de 42 659 euros) que são o objetivo. 

A amiga garante que amigos e familiares têm ajudado no pagamento das faturas hospitalares, mas explica  que "nenhuma doação é demasiado pequena". 

Quem conhece a Amber sabe que ela é uma fera e que lutará firmemente para se recuperar o mais depressa possível”, explica a amiga, acrescentando que Amber "está ansiosa para comer pizza"

Não está claro que o autor do ataque tenha sido um urso-pardo, tendo sido aberto um inquérito pelo Serviço de Vida Selvagem de Montana, avança o The Washington Post

Embora não seja proibido os técnicos irem sozinhos para as áreas onde vivem os ursos, as recomendações dizem que devem ir em grupos de três para evitar possíveis ataques. 

Os ursos-pardos são considerados uma espécie em ameaça nos Estados Unidos, estando sob proteção na maioria dos estados.