O autarca de Nova Iorque, Bill de Blasio anunciou este domingo que pretende “retroceder” a reabertura de nove bairros na cidade que tiveram uma taxa de testes positivos ao novo coronavírus de mais de 3% nos últimos sete dias.

A medida significa o encerramento de empresas não essenciais e escolas públicas e privadas nesses bairros, que pertencem ao distrito de Brooklyn e de Queens. Segundo o jornal New York Times, este crescimento exponencial de casos de covid-19 tem-se registado especialmente nas comunidades de judeus ortodoxos. 

Hoje, infelizmente, não é um dia para comemorar”, disse de Blasio. “Hoje é um dia mais difícil.”

O plano do autarca, que ainda tem de ser aprovado pelo governador Andrew M. Cuomo, marca a primeira grande reversão na reabertura da cidade desde que foi atingida pelo novo coronavírus em março.

Entre as áreas nova-iorquinas afetadas, destaca-se  Far Rockaway, Borough Park, Midwood, Gravesend, Bensonhurst, Sheepshead Bay e Kew Gardens. As autoridades estão ainda a monitorizar outras 11 áreas descritas por de Blasio como “verdadeiramente preocupantes”.

Nestes bairros, as limitações vão abranger os serviços de restauração noturnos, que reabriram há semanas.