Um dos polícias envolvidos na morte de Breonna Taylor, uma mulher negra morta a tiro pela polícia do Kentucky em março processou o namorado da vítima. Jonathan Mattingly, um dos três agentes envolvidos no tiroteio, acusa Kenneth Walker, namorado de Breonna de danos morais e agressão.

Kenneth Walker diz que pensava que os agentes que entraram dentro da casa da namorada eram ladrões e terá disparado contra eles, sendo que um dos disparos atingiu o agente Jonathan Mattingly. Os agentes alegam que foi precisamente em reação a esses disparos que acabaram também por disparar os tiros que mataram Breonna.

De acordo com a BBC, o advogado de Kenneth Walker considera que o processo civil intentado contra o seu cliente “não tem fundamento”.

O caso Breonna é um dos que tem motivado inúmeros protestos em todos os Estados Unidos, que deram origem ao movimento “Black Lives Matter” e que contestam a violência policial contra cidadãos afro-americanos.

O incidente que conduziu à morte da jovem Breonna aconteceu em março. Durante a noite, a polícia entrou, por engano, na casa da mulher em Louisville, no estado do Kentucky, numa operação contra o tráfico de drogas. 

Manuela Micael