O elevador do quarto prédio mais alto de Chicago caiu mais de 80 andares depois de um problema nos cabos que o sustentam. Os seis ocupantes, entre eles uma mulher grávida, temeram o pior, mas escaparam ilesos, depois de uma operação de três horas. O acidente aconteceu na sexta-feira, mas só esta terça-feira foram divulgadas as informações.

Um casal, dois estudantes e duas outras mulheres - uma delas grávida - almoçaram no 95.º andar do 875 da North Michigan Avenue, em Chicago, nos Estados Unidos. Foi depois da refeição, quando desciam, que sentiram que o pior podia chegar.

De acordo com relatos do grupo, o elevador fez um barulho repentino e alguma poeira começou a entrar na cabine. A partir desse momento, as pessoas começaram a sentir o elevador cair ao longo de 84 andares, até ao piso 11.

Jaime Montemayor, de 50 anos, estava no elevador com a esposa e disse que, no início, parecia que estavam a descer normalmente até começarem a sentir a velocidade da queda.

Começou a ouvir-se um ‘clack, clack, clack’. Achei que íamos morrer", contou Jaime Montemyaor à BBC.

Quando o elevador parou no 11.º andar, os ocupantes conseguiram pedir ajuda, enviando mensagens para amigos, que ligaram para os serviços de emergência.

De acordo com a BBC, só três horas depois é que os bombeiros conseguiram salvar os ocupantes do elevador através de um buraco que fizeram numa parede de betão.

Não podíamos fazer um salvamento de elevador para elevador. Foi preciso abrir uma brecha na parede ao nível do 11.º piso, a partir do parque de estacionamento, de forma a abrir as portas", explicou Patrick Maloney, um dos bombeiros de Chicago presente no salvamento.

Um responsável da autarquia explicou ao Chicago Tribune que a queda foi provocada por um cabo que se partiu. Foi aberta uma investigação para se apurar responsabilidades.

De acordo com os relatórios, o elevador do edifício, anteriormente conhecido como John Hancock Center, passou por uma inspeção em julho.