Os apoiantes do candidato democrata Joe Biden organizam-se com cânticos e percussão contra o racismo e pela liberdade sexual dos norte-americanos.

"Isto tem de mudar, para todos, não só para os negros mas também para os brancos, porque somos todos pobres e discriminados", disse à Lusa Jeannette, que cantava o hino "God Bless America" e que se apresenta como "travesti em luta pelos direitos cívicos".

Estou preocupada com a situação que este país atravessa por causa da crise do coronavírus. Tem de haver dignidade e cuidados de saúde para todos", acrescenta o travesti ativista pela campanha de Biden.

No setor da concentração de apoiantes de Joe Biden frente ao local onde vai decorrer o debate entre os dois candidatos presidenciais, frente à universidade Belmont, cidade de Nashville, estado do Tennessee, os grupos "antifascistas" identificados com bandeiras e camisolas juntam-se para cantar ao som de tambores improvisados com caixotes de lixo.

A letra da canção de protesto "Wich side are you on?" "De que lado estás?") foi adaptada contra o presidente Donald Trump e continua pela defesa das vítimas "afro-americanas" da violência policial".

A música é acompanhada pela batida nos tambores improvisados. 

Queremos mudanças", dizem os manifestantes mais jovens do candidato democrata numa altura e que se espera a qualquer momento a entrada dos candidatos, Donald Trump, pelo Partido Republicano e Joe Biden, do Partido Democrata. 

Os apoiantes de Trump juntam-se perto do cruzamento e agitam bandeiras dos Estados Unidos aos carros que passam.

Apesar do ruído e das expressões de protesto não se registam incidentes.

A polícia está presente no perímetro da universidade.

Toda a América em Nashville

O número de pessoas frente à entrada principal da universidade de Belmont, Nashvillhe, aumentou na última hora, transformando o local numa confusa manifestação política que aguarda os candidatos presidenciais.

Isto aqui é uma pequena América", diz à Lusa uma ativista que luta pelos direitos da comunidade LGBT, frisando que todas as tendências do país estão concentradas frente ao local onde os dois candidatos vão debater, afirma, "o futuro dos Estados Unidos".

No cruzamento da Avenida 06 e a Avenida Wedgewood, Nashville, algumas centenas de pessoas, apoiantes dos dois candidatos manifestam-se com bandeiras de campanha ou cartazes de apoio a cada um dos candidatos.

O debate entre Donald Trump, pelo Partido Republicano, e Joe Biden pelo Partido Democrata, começa dentro de poucas horas e as pessoas que se concentram esperam ver os candidatos a entrar no campus da universidade onde vai ser transmitido o frente-a-frente muito aguardado pelos eleitores.

Ninguém pode ocupar ilegalmente a nossa terra", diz um cartaz de uma apoiante de Donald Trump que se manifesta diretamente "contra os imigrantes" enquanto ao lado uma família reza de joelhos e olhos fechados uma oração "contra o aborto".

"Os pecadores não vão para o céu", grita um outro membro da congregação que aproveita o debate presidencial para pregar o evangelho e "difundir a mensagem contra o aborto". 

As duas manifestações misturam-se pelos passeios com os apoiantes de Joe Biden a pedirem respeito pelos "direitos humanos" e a exigirem medidas contra a violência policial. 

Sendo Nashville a capital da música "country" os carros que passam sintonizam estações de rádio em grande volume assim como se ouvem hinos de campanha cantados por músicos do estado do Tennessee, sobretudo de apoio à reeleição do presidente. 

Nos últimos minutos chegou ao local um grupo com uma enorme faixa de pano negro com a inscrição "Trump é um mentiroso" provocando o protesto dos apoiantes do presidente dos Estados Unidos, do outro lado da rua.

Candidatos testam negativo à covid-19

O chefe de gabinete da Casa Branca disse que o presidente Donald Trump testou negativo para a covid-19, antes do último debate presidencial com o candidato democrata, Joe Biden.

Mark Meadows adiantou que Trump foi testado a bordo do Air Force One, enquanto se dirigia para Nashville, Tennessee, e deu negativo.

A campanha de Biden disse também que o candidato democrata também fez o teste e deu negativo.

O teste do presidente dos EUA acontece depois de Trump ter estado infetado com o vírus, o que levou a estar internado três noites no hospital.

Ambas as campanhas foram obrigadas a certificar que os seus candidatos e convidados VIP tenham testado negativo antes dos debates.

No entanto, Trump e a Casa Branca têm repetidamente recusado a dizer se o presidente realmente foi testado antes de participar no primeiro debate, tendo sido diagnosticado com o vírus dois dias depois.

/ AG