Greta Thunberg, a adolescente sueca que lançou a greve às aulas das sextas-feiras contra as alterações climáticas, assegurou esta sexta-feira numa manifestação, em Berlim, que a campanha é só “o princípio do princípio” na luta contra o aquecimento global.

Perante vários milhares de pessoas – 25.000 segundo os organizadores –, a jovem denunciou novamente a inação dos adultos face ao aquecimento global, instou a uma mudança de comportamento e garantiu que a ação irá mais além.

As gerações adultas falharam-nos na maior crise que enfrenta a humanidade”, disse a jovem sueca, de 16 anos, que pareceu, por momentos, algo surpreendida pela calorosa receção que lhe fizeram os manifestantes, entre gritos e fotografias.

Milhares de crianças e adolescentes, acompanhados por professores e reformados, participaram no protesto empunhando cartazes com a frase “Não há um Plan(eta) B” e gritando palavras de ordem como “Estamos aqui e somos ruidosos porque nos roubam o futuro”.

Segundo Thunberg, a juventude deve “sair da zona de conforto” e procurar “uma mudança de comportamento” para juntar à luta contra o aquecimento global.

Num breve discurso, Thunberg mostrou-se otimista sobre o futuro do movimento global que iniciou no verão, e a que se juntaram hoje 30 cidades na Alemanha e mais de uma centena em toda a Europa.

Isto é apenas o princípio do princípio, acreditem”, disse para finalizar o discurso, provocando uma ovação no encerramento da manifestação, frente à Porta de Brandeburgo.

Thunberg, que se deslocou há algumas semanas à greve estudantil de Hamburgo (noroeste da Alemanha), receberá no sábado um galardão, “Câmara de Ouro”, no âmbito de uma gala organizada pela televisão pública alemã.