O primeiro grande estudo realizado pelas autoridades de saúde da China sobre o novo coronavírus (Covid-19) revela que os grupos de risco são compostos por pessoas idosas e com doenças pré-existentes, como doenças cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias crónicas e hipertensão.

De acordo com os dados do Centro de Prevenção e Controle de Doenças da China (CCDC), citados pela BBC, mais de 80% dos mais de 40 mil casos analisados pelas autoridades chinesas são ligeiros.

O foco da infenção foi a província de Hubei, em Wuhan, e é lá que a doença mata três em cada cem infetados, ou seja, a taxa de mortalidade é de 2,9% na região, enquanto que no resto do país a taça é de 0,4%.

O estudo, publicado na segunda-feira no jornal de Epidemologia da China, analisou os 44,672 casos confirmados até 11 de fevereiro.

As principais conclusões do estudo são que 80,9% das infecções são consideradas ligeiras, 13,8% severas e 4,7% críticas e que a taxa mais alta de mortalidade (14,8%) atinge pessoas com 80 anos ou mais.

Segundo o estudo, não foram ainda registadas mortes em crianças até aos nove anos e nas pessoas até aos 39 anos a taxa de mortalidade é de 0,2%. Depois, a taxa vai crescendo gradualmente: na faixa dos 40 anos, é de 0,4%; na dos 50, é de 1,3%; na dos 60, é de 3,6%; e na dos 70, é de 8%.

Quanto ao género, a taxa de mortalidade nos homens é de 2,8% e nas mulheres de 1,7%.

O número de mortos devido ao novo coronavírus (Covid-19) na China continental subiu esta terça-feira para 1.868, ao mesmo tempo que foram registados 1.886 novos casos de infeção, num total de 72.436 infetados, foi anunciado.

Além das vítimas mortais no continente chinês, há a registar um morto na região chinesa de Hong Kong, um nas Filipinas, um no Japão, um em França e um em Taiwan.

Embora cerca de 30 países tenham casos diagnosticados com Covid-19, a China regista perto de 99% do total de infetados.

/ AM