Um casal perdeu a guarda do filho de quatro anos e depois de ter deixado de levar a criança, que sofre de cancro, à quimioterapia. O caso aconteceu na Florida, nos Estados Unidos.

Taylor Bland e Joshua McAdams pararam de levar o filho à quimioterapia e decidiram que o menino, que foi diagnosticado com leucemia linfoblástica aguda em abril, seria tratado apenas com canábis medicinal, ervas e água alcalina.

O casal até se mudou para outro estado, de modo a fugir ao tratamentos médico.

Mas depois de buscas em vários estados, a polícia encontrou Bland e McAdams no estado do Kentucky.

Na segunda-feira, o juiz Thomas Palermo, do tribunal do Condado de Hillsborough, considerou que a criança ia enfrentar “risco de negligência iminente” se fosse devolvida aos pais. Por isso, ordenou que o menino fosse morar com a avó materna para receber o tratamento médico, sublinhando que essa "é a única mandeira de garantir a saúde, a segurança e o bem-estar" da criança.

A advogada de Bland e McAdams já reagiu à decisão, afirmando que o casal está "arrasad"o e considera dar entrada com um recurso.

"A criança está a passar por uma experiência médica absolutamente traumática e isso está a acontecer sem os pais", disse a advogada Brooke Elvington.