"Um pequeno passo para o homem, mas um grande passo para a humanidade", 60 anos depois de Neil Armstrong ter proferido esta frase, enquanto descia do módulo lunar, o homem pode estar de regresso à Lua. 

A nova missão "descolou na terça-feira", depois de Mike Pence, num discurso na sede da NASA, em Houston, ter lançado o desafio de colocar o homem no satélite natural das Terra num prazo de cinco anos. Num tom desafiador, o vice-presidente dos EUA garantiu que "a América vai voltar a surpreender o mundo com as metas que alcança".

O desafio foi prontamente aceite por Jim Bridenstine, o diretor da Agência Espacial Norte Americana. Numa publicação no Twitter, o engenheiro espacial fala de uma "grande notícia" e garante que o desafio foi aceite e a agência vai "meter mãos à obra".

A Lua passou, minutos depois, a um dos assuntos em destaque nas redes sociais. Uma das reações marcantes foi a de Elon Musk, o CEO da Space X, que define como inspirador para humanidade "um regresso da humanidade à Lua".

Recorde-se que a a Space X pode assinar, a curto prazo, um contrato com o governo norte-americano para fornecer o material necessário para abastecer a Estação Espacial Internacional. Além deste negócio, a empresa tem um projeto denominado "dearMoon" para desenvolver turismo na Lua.

As últimas visitas do homem à Lua

Doze, é este o número de homens que já caminharam na Lua. Entre 1969 e 1972, a NASA lançou sete missões em direção à Lua, mas apenas seis conseguiram chegar ao objetivo. 

A Apollo 11 foi a primeira missão a levar um homem, na verdade foram dois, a pisar a superfície lunar. Neil Amstrong foi o primeiro homem a pisar a Lua e Eugene Cernan o último, abordo da missão Apollo 17. Em 1970, a NASA cancelou as missões Apollo 18 e Apollo 19, com descolagens previstas para 1972. 

Há dois motivos que explicam o fim do projeto. Em primeiro lugar, o corte de verbas do congresso para financiar o projeto, pelo facto de os EUA terem ganho a corrida espacial à URSS (apesar de os soviéticos terem sido os primeiros a colocar um homem em órbita). O desinteresse da opinião pública norte-americana é outra das razões apontadas para o fim de um dos projetos marcantes do século XX. 

Recorde, através da cronologia, a história do homem na Lua.