Dois navios de bandeira portuguesa foram essenciais no resgate de 44 pessoas que necessitavam de ajuda em alto mar, tendo ambos cumprido com prontidão e eficácia as obrigações de ajuda na salvaguarda da vida no mar, foi esta sexta-feira anunciado.

Num comunicado esta quinta-feira divulgado, a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) informa que "o primeiro episódio ocorreu na costa oeste dos Estados Unidos, em 10 de novembro, cerca das 02:00 horas locais, em que o navio graneleiro ‘Nordrubicon’, de bandeira portuguesa, foi investido pela Guarda Costeira dos Estados Unidos a prestar assistência e participar nas operações de busca e salvamento a uma embarcação em dificuldades nas proximidades".

A DGRM precisa que se tratou de "uma situação de incêndio a bordo, tendo o navio de bandeira portuguesa procedido num primeiro momento ao resgate de três pessoas, que já se encontravam a bordo da jangada salva-vidas" e depois de mais quatro pessoas após terem abandonado a embarcação em chamas.

Todos os sete ocupantes, que constituíam a tripulação da embarcação em dificuldades, foram recolhidos em segurança a bordo do navio ‘Nordrubicon'”, refere o comunicado.

O segundo episódio ocorreu na tarde, também de 10 de novembro, na zona sul de Portugal, a cerca de 50 milhas ao sul de Vila Real de Santo António, com o navio de bandeira portuguesa ‘Perseus’ a detetar uma pequena embarcação de madeira com 37 pessoas a bordo e a dar o alerta para as autoridades portuguesas.

A DGRM indica que "o navio de bandeira portuguesa prestou o auxílio necessário até à chegada da marinha portuguesa" e as 37 pessoas foram resgatadas e levadas em segurança para o Porto de Portimão.

Em ambos os casos, os dois navios com Registo Internacional de Navios da Madeira, eram os mais próximos das embarcações que necessitavam de auxílio.

Como era seu dever, ao abrigo da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, prestaram o socorro necessário e todas as 44 pessoas foram resgatadas em segurança", diz a DGRM, adiantando que "já endereçou os agradecimentos aos dois armadores dos navios, enaltecendo o esforço e as excelentes colaborações tidas com as entidades competentes de socorro no mar".

/ JGR