Foi encontrado um corpo no Parque Nacional Grand Teton, no estado americano de Wyoming, que corresponde à descrição de Gabby Petito, a rapariga de 22 anos que está desaparecida desde o início do mês

O FBI disse que embora os exames forenses ainda não "confirmem a 100%" que os restos mortais são de Petito eles são consistentes com a sua descrição. A autópsia será realizada na terça-feira.

"Como todos os pais podem imaginar, este é um momento extremamente difícil para a família", disse o agente do FBI Charles Jones em conferência de imprensa, contendo as lágrimas. “A causa da morte não foi determinada”, acrescentou.

Neste momento, as autoridades estão à procura de Brian Laundrie, o namorado de Gabrielle, de 23 anos, que, tudo indica, terá sido a última pessoa a vê-la viva.

Em julho, Gabby deixou o emprego para fazer uma viagem com o namorado por vários estados do oeste dos EUA. As imagens publicadas no Instagram mostram-na feliz, fotografada em paisagens bonitas. O par chegou mesmo a fazer um vídeo, que publicou no YouTube, para documentar a sua viagem:

No entanto, a 12 de agosto, a polícia de Utah atendeu uma denúncia de violência doméstica envolvendo Petito e Laundrie. As imagens das câmaras policiais, entretanto divulgadas, mostram Gabby angustiada, a chorar, dizendo que tinha tido uma discussão algo violenta com o namorado. 

"Discutimos esta manhã. Ele não me deixava entrar no carro... Disse-me que eu tinha de me acalmar", contou ela. Gabby disse à polícia que tinha problemas de saúde mental, justificando assim o facto de ter tentado agredir o namorado. Depois, ela tentou roubar-lhe as chaves da carrinha e ele deu-lhe um empurrão.

"Tanto um como o outro disseram que estavam apaixonados e que iam casar, e por isso não queriam que nenhum deles fosse acusado de um crime", escreveu o polícia Daniel Robbins no relatório. O agente decidiu não fazer nenhuma nenhuma acusação, mas ordenou que o casal passasse uma noite separado para se acalmar.

Essas imagens ganham agora um novo significado.

Gabby Petito foi vista pela última vez no dia 24 de agosto quando estava a sair de um hotel em Salt Lake City. Ela falava regularmente ao telefone com os pais mas a partir de determinada altura passou a fazê-lo por mensagens. Os pais questionam agora se essas últimas mensagens terão sido realmente escritas pela filha. A última vez que Gabby entrou em contacto com os pais foi no final de agosto, quando o casal estava na área do Parque Nacional de Grand Teton, tendo sido aí que se iniciou a busca.

No passado dia 1 de setembro, Laundrie regressou a North Port com a carrinha de Gabby - uma van Ford Transit de 2012 - mas sem a namorada. 

No passado dia 11, a família de Gabrielle participou o seu desaparecimento às autoridades. Na terça-feira, a polícia foi a casa de Laundrie para tentar obter informações mas ele recusou-se a falar com a polícia e, pouco depois, saiu de casa com uma mochila, dizendo aos pais que ia passar uns dias na reserva natural. 

Brian Laundrie foi declarado "pessoa de interesse" no caso, mas não foi ainda acusado de nenhum crime. O advogado da família de Laundrie, Steven Bertolino, disse na sexta-feira que o seu paradeiro "é atualmente desconhecido".

Nesse mesmo dia Richard Stafford, advogado da família Petito, disse em um breve comunicado à CNN: "Toda a família de Gabby quer que o mundo saiba que Brian não está desaparecido, ele está escondido. Gabby é que está desaparecida". 

No passado fim de semana, dezenas de agentes da polícia e do FBI realizaram buscas numa área que se estende por mais de cem quilómetros quadrados, de acordo com o Departamento de Polícia de North Port. As buscas incluíram a utilização de drones e cães de caça que usaram roupas e objetos pessoais de Laundrie para detetar o seu cheiro.

O corpo foi encontrado no domingo mas a investigação policial continua e o FBI pediu a todos os que tenham informações ou que possam ter visto o casal nos últimos meses, sobretudo entre 27 e 30 de agosto, para entrarem em contacto com as autoridades.

Maria João Caetano