O primeiro encontro virtual entre o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o homólogo chinês, Xi Jinping, deverá ter lugar na segunda-feira, noticiaram esta quinta-feira vários meios de comunicação social norte-americanos.

Os dois homens já falaram pelo telefone duas vezes, mas esta cimeira é uma oportunidade para as duas superpotências continuarem o diálogo, numa altura em que as relações entre Pequim e Washington se encontram em mínimos sobre uma série de questões, desde o comércio aos direitos humanos, passando pelas ambições regionais da China.

O acordo para realizar esta reunião, a primeira por videoconferência desde que o presidente norte-americano tomou posse em janeiro, foi anunciado no início de outubro pela Casa Branca.

A reunião está teoricamente marcada para segunda-feira, segundo a CNN e o Politico, que citam fontes anónimas.

VEJA TAMBÉM: COP26: CHINA E EUA VÃO "FORTALECER EM CONJUNTO A AÇÃO CLIMÁTICA"

Foi em Anchorage, Alasca, que os Estados Unidos e a China realizaram em março a primeira reunião cara a cara desde que Joe Biden tomou posse. O encontro deu origem à descoberta sem precedentes das profundas divergências entre as duas principais potências mundiais.

As tensões voltaram a subir nas últimas semanas devido ao destino de Taiwan, que as autoridades chinesas consideram uma província que deveria ser devolvida à administração de Pequim.

O Presidente chinês, Xi Jinping, alertou na quinta-feira para um ambiente de "guerra fria" na região da Ásia-Pacífico, onde os EUA procuram contrariar as ambições de Pequim. No entanto, o líder chinês disse estar "pronto para trabalhar" com os Estados Unidos.

Joe Biden disse também que queria cooperar com as autoridades chinesas em certos desafios comuns, tais como as alterações climáticas. Sobre esta questão, Pequim e Washington anunciaram na quarta-feira em Glasgow a intenção de redobrar conjuntamente os esforços na luta contra o aquecimento global.

/ PF