O Departamento de Estado norte-americano está a investigar o desaparecimento de uma garrafa de whisky, no valor de cinco mil euros, oferecida pelo governo japonês, em junho de 2019, ao antigo secretário de Estado da administração de Donald Trump, Mike Pompeo, que afirma nunca ter recebido o presente.

O presente nunca chegou até mim. Não faço ideia como é que o Departamento de Estado perdeu esta garrafa", disse o ex-secretário de Estado à Fox News

William Burck, advogado de Mike Pompeo, afirmou ao Wall Street Journal que o o seu cliente "não se lembra de ter recebido a garrafa de whisky e não tem conhecimento do seu paradeiro".

Nos Estados Unidos, os funcionários estão proibidos de aceitar presentes pessoais de governos estrangeiros. No entanto, para não causar constrangimentos, os presentes são entregues aos arquivos governamentais.

A questão de um funcionário do Gabinete receber presentes de governos estrangeiros é grave. Se se verificar que o Secretário  de Pompeo levou esta garrafa de 5.800 dólares, ele deveria ter declarado a sua existência no relatório financeiro", escreveu Shaub, o antigo diretor do Gabinete de Ética do Governo.

No início deste ano, segundo a CNN, descobriu-se que Mike Pompeo e a sua mulher, Susan Pompeo, violaram algumas regras federais ao fazerem mais de 100 pedidos pessoais, não relacionados com o trabalho, como marcações no cabeleireiro.

Redação / IC