Jared Kushner, genro e um dos principais conselheiros do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quis estabelecer um canal de comunicação secreto com o Kremlin para evitar os serviços secretos norte-americanos, segundo escutas telefónicas citadas pelo The Washington Post.

Kushner abordou esta possibilidade em dezembro, em reuniões com o embaixador russo em Washington, Sergei Kislyak, na Torre Trump em Nova Iorque, ainda durante o período de transição presidencial.

Segundo disseram ao jornal funcionários norte-americanos informados sobre os relatórios dos serviços secretos, Kushner e Kislyak falaram sobre a possibilidade de estabelecer um canal "secreto e seguro" utilizando as instalações diplomáticas russas nos Estados Unidos a fim de evitar os serviços secretos norte-americanos então ainda sob o controlo da Administração de Barack Obama.

Esta semana o Washington Post tinha avançado que o genro de Trump estava sob investigação do FBI no âmbito das alegadas intervenções nas eleições norte-americanas.

Kushner pode não vir a ser o foco da investigação, nem foi ainda acusado de qualquer ilegalidade. No entanto, o FBI “pensa que Kushner tem informações importantes para a sua investigação”.