Um grupo de sete ativistas da Greenpeace colocou uma enorme faixa com a palavra “Resist” (Resistência) numa grua a poucos quarteirões da Casa Branca, em protesto contra a política ambiental de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos.

A organização ambientalista contesta ainda o que diz ser o “negacionismo das alterações climáticas, racismo, misoginia, a homofobia e a intolerância” de Donald Trump.

Os ativistas da Greenpeace ergueram então uma faixa a uma altura de 82 metros. O protesto surge um dia depois de o novo presidente dos EUA ter adiado a aplicação de pelo menos 30 novas regras ambientais e ter avançado com a construção de dois oleodutos bastante polémicos.

 As pessoas deste país estão prontas para resistir e para se erguer de uma forma como nunca o fizeram antes”, disse Karen Topakian, membro da direção da Greenpeace.

Após a assinatura dos decretos, várias cidades foram palco de protestos, incluindo Washington, Nova Iorque e Los Angeles.

Alguns ativistas já se tinham mostrado preocupados com as políticas ambientais de Trump durante a realização da Conferência do Clima, em África, no final do ano passado. Para os ativistas, Trump representa um retrocesso no meio ambiente global, uma vez que é contra o Acordo de Paris, que defende a diminuição das emissões de gases de efeito estufa.