Um homem morreu este fim de semana numa casa, na localidade de Fort Madison, no estado norte-americano do Iowa, na sequência de um ataque de um cão. O homem não resistiu aos ferimentos provocados pelo animal, que o atacou quando este correu em socorro da filha de cinco anos, a primeira vítima do cão.

A polícia foi chamada ao local quando recebeu o alerta para a ocorrência, cerca das 10:30, e ainda encontrou Robert Joseph Quick com vida, conta a Fox News.

Os agentes descreveram “um cão enorme” a atacar Robert, que estava deitado de costas, gravemente ferido, no jardim de casa.

O cão, que não libertava o homem, deixou poucas alternativas às autoridades. Os agentes foram forçados a disparar sobre o animal para interromper o ataque.

Quando se deparou com as autoridades, Robert pôs a segurança da filha à frente de quaisquer dores ou lesões. De acordo com o relatório, apressou-se a pedir aos agentes que procurassem a filha e tratassem dela, que já tinha sido atacada pelo cão.

A polícia rapidamente encontrou a criança e procedeu aos primeiros socorros.

O homem, transportado entretanto para o hospital, não resistiu aos ferimentos e as equipas médicas não conseguiram fazer nada para o salvar. O óbito foi declarado à chegada ao hospital.

O Sr. Quick defendeu a filha e, sem dúvida, salvou a vida dela com as suas ações”, destacam as autoridades em comunicado.

De acordo com a página GoFundMe, que está a angariar fundos para as cerimónias fúnebres do homem, o homem pode não ter sido morto pelas lesões do ataque, mas por um ataque cardíaco sofrido no momento do ataque.

Ele teve um ataque cardíaco no local do acidente na altura em que as equipas de emergência médica chegaram”, refere a página.

O animal, cuja raça não foi identificada, pertence a familiares. Segundo as autoridades, está neste momento à guarda dos donos da casa onde o incidente ocorreu.

A vítima mortal deixa a mulher, Dawn, e os quatro filhos do casal.