O Departamento de Justiça dos EUA anunciou a apreensão de 68 leões, tigres e híbridos de leão-tigre, e ainda o um jaguar do antigo parque animal de Joe Exotic, a estrela do popular documentário da Netflix "Tiger King".

Na segunda-feira, os funcionários da Justiça fizeram uma busca no Tiger King Park em Thackerville, Oklahoma, por violações contínuas da Lei das Espécies Ameaçadas. Acusam os os atuais gestores do parque, Jeffrey e Lauren Lowe, de violarem repetidamente as leis que exigem cuidados apropriados para os animais e não cumprirem a ordem de contratar um veterinário qualificado para cuidar dos animais.

Esta apreensão deve enviar uma mensagem clara de que o Departamento de Justiça leva muito a sério os alegados danos a animais criados em cativeiro protegidos pela Lei de Espécies Ameaçadas", disse o assistente do procurador-geral, Jean Williams.

Numa declaração feita ao Tribunal Distrital de Oklahoma, um agente especial do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos descreveu o parque como um local de criação de felinos, sem os cuidados adequados e sem relatar as ninhadas, como a lei exige.

Os animais correm grande perigo se não forem confiscados pelos Estados Unidos", diz a declaração.

Os Lowes, que também aparecem em "Tiger King", assumiram o controlo do parque de felinos de Joe Exotic - cujo nome verdadeiro é Joseph Maldonado-Passage - em 2016 depois de o extravagante empresário ter problemas financeiros e legais.

Maldonado-Passage encontra-se detido desde 2019, quando foi condenado a 22 anos de prisão por tentar assassinar a proprietária de um parque rival, Carole Baskin.

Maria João Caetano