Um mergulhador que andava à procura de dentes de tubarão pré-históricos no rio Myakka, na Flórida, foi atacado por um crocodilo que o mordeu na nuca.

O norte-americano Jeffrey Heim, de 25 anos, levou 34 pontos na cabeça depois do ataque que aconteceu no domingo passado. Além disso, também foi mordido na mão. 

"O crocodilo parecia muito pesado mas movia-se muito depressa", disse à CNN. "Parecia uma força cega. Não senti o corte, senti um puxão."

Heim diz que já mergulhou no rio várias vezes naquele local, perto de um restaurante. Antes de mergulhar, ficou uns dez minutos a observar a água e não viu nenhum crocodilo. Estava há pouco tempo debaixo de água, quando o crocodilo o atacou.

Após as mordidas iniciais, Heim conta que foi capaz de recuar e escalar de volta para a margem do rio quando o crocodilo se lançou de novo sobre ele. Foi então que lhe mordeu a nuca.

Foi imediatamente ajudado pelas pessoas que estavam no restaurante. Um antigo bombeiro fez um curativo na cabeça enquanto outras pessoas ligaram para o 911.

"Tive a sorte de estar num local público e de haver pessoas para me ajudarem", contou à CNN, admitindo que teve imenso medo de morrer.  "Chorei muito naquele dia durante uma ou duas horas. Simplesmente não conseguia parar de chorar e de agradecer a Deus."

Jeffrey Heim passou um dia e meio no hospital mas agora já está a recuperar em casa. 

A Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida (FWC) explica que os crocodilos se tornam mais ativos em abril, quando as temperaturas aumentam.

Apesar do susto, Jeffrey Heim garante que vai continuar a mergulhar.

Redação / MJC