Era a segunda noite da Convenção Nacional Republicana. Os discursos seriam o ponto alto da noite, mas foi a roupa escolhida por Melania Trump que acabou por captar todas as atenções.

Para a ocasião - em que também ela própria discursou - Melania Trump escolheu um conjunto fora do padrão habitual das suas recentes escolhas: um blazer de cor verde exército com botões dourados e ombros estruturados. O casaco apertava na cintura com duas fivelas do mesmo tom e combinava com uma saia justa. O look era da marca britânica Alexander McQueen, os sapatos da marca Louboutin.

A escolha não passou despercebida e as redes sociais não perdoaram. A Diet Prada comparou o look de Melania aos uniformes usados por vários líderes fascistas, incluindo Adolf Hitler, Benito Mussolini e o ex-primeiro-ministro da Roménia, Ion Antonescu. Os conhecidos “vigilantes da moda” escreveram na sua conta do Instagram que aquela escolha foi um sinal para os EUA de que a primeira-dama é uma “fascista declarada e orgulhosa”. Já Vanessa Friedman, diretora de moda do The New York Times questionou “em que guerra estaria Melania Trump a lutar”.

Recorde-se que na Convenção Nacional Republicana de 2016, Melania Trump usou um conjunto saia/casaco branco. E é por isso que os críticos da moda questionam o porquê de a primeira-dama aparecer, agora, com um look tão militar.

Lara Ferin