Pelo menos uma pessoa morreu e quatro ficaram feridas num tiroteio ocorrido, na terça-feira, numa clínica no estado do Minnesota, no norte dos Estados Unidos, disseram as autoridades locais.

Pouco antes das 11h00 (17h00 de terça-feira em Lisboa), a polícia foi chamada à clínica Allina Health, onde um homem tinha entrado e disparado contra as pessoas que se encontravam no local.

Três feridos estão em estado grave mas estável e o quinto já recebeu alta, noticiaram vários meios de comunicação social norte-americanos.

Imagens transmitidas pela televisão local mostraram um edifício em que várias janelas estavam destruídas.
Depois de ter sido detido, o atirador, identificado como Gregory Ulrich, de 67 anos e conhecido da polícia, afirmou ter disparado por, alegadamente, não estar satisfeito "com os cuidados recebidos" ao longo dos anos, em clínicas próximas, disse o chefe da polícia de Buffalo, Pat Budke, em conferência de imprensa.

Os inspetores disseram acreditar que o suspeito "visava especificamente o estabelecimento ou algum dos funcionários", acrescentou. A clínica situa-se em Buffalo, uma cidade de cerca de 15 mil habitantes a cerca de 50 quilómetros a norte de Minneapolis, capital do estado.
Budke acrescentou que "pode ter ocorrido uma explosão" antes do tiroteio. De acordo com as comunicações entre os agentes da polícia que intervieram, citadas pelo jornal Star Tribune, o suspeito anunciou a presença de bombas antes de se render.

A polícia encontrou um pacote suspeito na entrada da clínica, além de dispositivos suspeitos num hotel ocupado pelo suspeito perto da clínica.

De acordo com as autoridades, o suspeito agiu sozinho, num ataque sem qualquer relação com o terrorismo doméstico.

/ MJC