O governo chinês reiterou que a política "Uma só China" é “inegociável”, depois de o Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, ter voltado a reiterar que só a respeitará se Pequim aceitar negociar os laços comerciais bilaterais.

Esta posição foi deixada pelo porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, em comunicado, segundo a agência de notícias Xinhua.

“Instamos os Estados Unidos a darem-se conta da elevada sensibilidade da questão taiwanesa e a respeitarem os compromissos tomados pelos anteriores governos norte-americanos.”

A mesma fonte acrescenta que o governo chinês é o único com legitimidade para representar Taiwan, algo que é “reconhecido internacionalmente e que ninguém pode mudar”.

Donald Trump deu uma entrevista ao Wall Street Journal na sexta-feira, na qual abordou as relações de Washington com Pequim.

Questionado sobre a a politica de "Uma só China" em Taiwan, Trump afirmou que o governo chinês tem de mostrar boa fé nas políticas e práticas comerciais para que os Estados Unidos apoiem esta politica.

"Está tudo em negociações incluindo a política de 'Uma só China'", sublinhou nesta entrevista.

Redação