Representantes da Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos salientaram esta sexta-feira a importância da cooperação a três na questão do programa nuclear norte-coreano, na primeira reunião tripartida desde que o novo Presidente dos EUA tomou posse.

O assunto foi discutido durante uma reunião por vídeochamada em que participaram o responsável pelas negociações nucleares sul-coreano, Noh Kyu-duk, o diretor-geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros japonês para a Ásia e Oceânia, Takehiro Funakoshi, e o secretário de Estado adjunto dos EUA para a Ásia Oriental e o Pacífico, Sung Kim.

Durante a reunião, os três abordaram "a recente situação na península coreana e concordaram em cooperar estreitamente (...) para alcançar uma desnuclearização completa e uma paz duradoura na península", de acordo com um comunicado divulgado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Sul.

A Administração Biden está empenhada em reforçar as alianças dos EUA, especialmente com os nossos principais aliados do nordeste asiático, Japão e a República da Coreia [nome oficial da Coreia do Sul]", acrescentou Washington num texto publicado pelo Departamento de Estado.

O diálogo sobre a desnuclearização com a Coreia do Norte está paralisado desde a cimeira de Hanói, em fevereiro de 2019, após os Estados Unidos recusarem suspender as sanções, por considerarem a oferta de desarmamento do regime norte-coreano insuficiente.

Após o fracasso do executivo do ex-Presidente Donald Trump em resolver o conflito, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, recentemente instou o novo Governo do Presidente, Joe Biden, a propor novas alternativas para retomar o diálogo, alertando que Pyongyang está a preparar novos testes de armas.

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul, sempre aliados, mantêm contacto próximo desde que Biden assumiu o poder em janeiro, mas ainda não divulgaram novidades sobre o processo de diálogo com a Coreia do Norte, nem enviaram mensagens conjuntas, pelo menos publicamente, ao regime de Pyongyang.

. / MJC