O rei emérito de Espanha poderá mudar-se para Portugal. Juan Carlos chegou ao país vizinho nesta segunda-feira, no mesmo dia em que comunicou ao filho que iria deixar o país e escolher outro para viver, mas já terá deixado o país.

Em causa está a repercussão pública das investigações sobre os seus alegados fundos em paraísos fiscais.

A TVI sabe que estará a ser delineado um plano de segurança para o pai do rei de Espanha, segundo foi apurado junto de fonte policial.

VEJA TAMBÉM:

O rei emérito de Espanha enviou esta segunda-feira uma carta a Felipe VI a comunicar a decisão, com efeitos imediatos, que garante que tomou “com profundo sentimento, mas com grande serenidade”.

Juan Carlos disse ainda que pretende facilitar o exercício das funções do filho, para que este dê continuidade ao papel de chefe de Estado com a "calma e tranquilidade" que o cargo exige.

Esta decisão foi tomada depois de terem sido divulgadas várias notícias que davam conta que o antigo rei espanhol tinha criado uma empresa "offshore", quando ainda era soberano, através de uma doação de 65 milhões de euros da Arábia Saudita.

O Ministério Público suíço está a investigar o seu envolvimento na intermediação em vários negócios, entre eles um contrato ganho por um consórcio espanhol para construir a ligação de comboio de alta velocidade que liga Meca a Medina. Felipe VI nega qualquer conhecimento ou envolvimento neste caso.

Juan Carlos, de 82 anos, viveu no Palácio da Zarzuela ao longo dos últimos 58 anos. Tornou-se rei em novembro de 1975 e foi o chefe de Estado espanhol até à sua abdicação, a favor do filho, em junho de 2014.