Pelo menos dez pessoas morreram, esta quinta-feira, no centro de Mogadíscio na sequência da explosão de carro bomba junto a um restaurante da capital da Somália.

De acordo com o relato da agência norte-americana AP, a explosão, que ocorreu numa rua muito frequentada do centro de Mogadíscio, provocou ainda sete feridos, tendo em conta o primeiro balanço.

No sábado, 23 de março, um outro ataque em Mogadíscio, contra um edifício do Governo, provocou cinco mortos, entre os quais o ministro do Trabalho da Somália, Saqar Ibrahim Abdalla.

O governante, segundo fonte da polícia somali, foi morto no seu escritório, no rés-do-chão, logo após a invasão do edifício por um grupo de homens armados.

Pelo menos cinco homens armados invadiram o prédio, depois de um atentado suicida com um carro bomba, às portas do edifício, perto da sede dos serviços secretos.

No mesmo dia, o grupo extremista islâmico Al-Shebab, ligado à al-Qaida, assumiu a responsabilidade pelo ataque.