Um segurança de um jardim de infância no sul da China feriu, esta quinta-feira pelo menos 39 pessoas, a maioria crianças, num ataque com faca, informou a imprensa estatal, sem detalhar o motivo do ataque.

O crime ocorreu na quinta-feira de manhã na China, no condado de Cangwu, região autónoma de Guangxi, e deixou 37 crianças e dois adultos feridos.

A emissora estatal CCTV detalhou que três dos feridos se encontram em estado grave, incluindo o diretor da escola, outro segurança e uma criança.

O suspeito foi detido e a polícia está a investigar o caso.

A China registou, nos últimos anos, vários incidentes do género, normalmente ligados a pessoas com problemas psicológicos ou ressentimentos com vizinhos ou a sociedade em geral.

Embora o país seja, no geral, seguro, estes ataques em locais públicos, sobretudo escolas, são relativamente comuns.

Em novembro passado, 51 crianças e três educadores ficaram feridos, após um ataque com soda cáustica perpetuado por um homem de 23 anos num infantário no sul da China.

Em abril de 2019, um professor de um jardim de infância na província de Henan, centro da China, foi preso por envenenamento deliberado de 23 crianças entre os 4 e 5 anos de idade, das quais uma teve que ser hospitalizada em estado grave.

No mesmo mês houve também um ataque com faca numa escola da província de Hunan, que resultou em duas crianças mortas e outras duas feridas.

A lei chinesa proíbe rigorosamente a venda e posse de armas de fogo, pelo que os ataques são geralmente feitos com facas, explosivos de fabrico artesanal ou por atropelamento.

/ Publicado por MM