Um prédio residencial de 13 andares na Faixa de Gaza ruiu na terça-feira à noite depois de ter sido atingido por um ataque aéreo por parte de Israel. A meio da noite, vários moradores relataram que sentiram as suas casas a tremer e que o céu se iluminava devido aos constantes ataques. 

Um vídeo, que circula nas redes sociais, mostra o prédio rodeado de colunas de fumo densas e, pouco depois, acaba por desabar. Na torre estava um escritório usado pela liderança política do Hamas.

 

 

A imprensa dá ainda conta de que duas pessoas morreram esta terça-feira na cidade israelita de Lod, quando o veículo em que se encontravam foi atingido por um míssil disparado a partir da Faixa de Gaza, anunciou a polícia israelita.

Estas novas mortes elevam para cinco o número total de pessoas mortas em Israel pelos ataques lançados desde segunda-feira à noite por grupos armados em Gaza.

Uma das vítimas mortais era uma rapariga, que morreu no local, enquanto a segunda vítima, um homem de cerca de 40 anos, foi declarado morto no hospital, indicou a polícia, sem precisar a idade da rapariga ou se eram familiares.

As forças armadas israelitas anunciaram que mais de mil mísseis foram disparados, desde segunda-feira à noite, por grupos armados palestinianos, a partir da Faixa de Gaza contra Israel.

Desde segunda-feira à noite, "mais de mil mísseis" foram disparados de Gaza, dos quais 850 foram intercetados pelo escudo antimíssil ou atingiram território israelita e 200 caíram no enclave palestiniano, indicou o porta-voz do exército israelita, Jonathan Conricus.

Entretanto, em Ramallah, na Cisjordânia, um palestiniano morreu durante um confronto com o exército israelita na Cisjordânia, disseram fontes oficiais palestinianas.

"Um cidadão" morreu depois de ter sido atingido por balas israelitas no campo de refugiados de Al-Fawwar, perto da cidade palestiniana de Hebron, afirmou o Ministério da Saúde palestiniano.

De acordo com a agência de notícias oficial palestiniana Wafa, Hussein Al-Titi, de 26 anos, morreu em confrontos com o exército israelita.

Pelo menos 35 pessoas foram mortas nos ataques israelitas em Gaza e 230 ficaram feridas, indicaram as autoridades palestinianas.

Além dos cinco mortos, Israel registou dezenas de feridos.

A violência surgiu, em parte, devido à ameaça de expulsões de palestinianos de Jerusalém Oriental em benefício dos colonos israelitas.

Dos confrontos iniciais entre manifestantes palestinianos e polícias israelitas, particularmente em redor da mesquita de Al-Aqsa, seguiram-se os ataques com foguetes do Hamas contra o Estado judeu e a resposta das forças de defesa israelitas contra a Faixa de Gaza.

Lara Ferin