Uma mulher australiana está a ser investigada pelas autoridades por, alegadamente, ter fingido ser médica e ter trabalhado, durante oito meses, num hospital de Sydney, escreve a BBC.

A mulher de 27 anos de idade, cujo nome não foi revelado, exerceu funções de médica no Hospital de Bankstown-Lidcombe.

Segundo a BBC, terá sido o próprio hospital a descobrir que ela não estava inscrita na Agência Reguladora para a Prática da Saúde, a AHPRA (Australian Health Practitioner Regulation Agency).

A investigação está a ser levada a cabo pela polícia de Nova Gales do Sul. O próprio hospital confirmou, através de um comunicado, que uma funcionária que começou a trabalhar em janeiro “tinha sido suspensa de funções”, após descobrirem que não tinha licença para exercer. A unidade de saúde instituição acrescentou, ainda, que o seu trabalho “foi sempre supervisionado”.

Além da investigação policial, também o Hospital abriu um inquérito interno.

Segundo avança a 7News, a mulher chumbou nos exames finais e falsificou documentos para poder exercer. Apesar de ainda não ter sido feita nenhuma acusação, a mesma fonte, acrescenta que pode estar em causa, por exemplo, o crime de fraude.
 

Redação / PP