Mais de 200 pessoas ficaram feridas nas Filipinas na sequência do lançamento ilegal de fogo-de-artifício e de disparos para o ar, apesar de o governo ter lançado uma campanha contra celebrações imprudentes durante este período festivo.

As autoridades filipinas revelaram hoje que a maioria dos feridos eram crianças e que as balas perdidas causaram ferimentos a seis pessoas e 197 foram também feridas por fogo-de-artifício entre os dias 21 e 30.

As autoridades locais receiam que o número de incidentes semelhantes aumente quando os filipinos se preparam para a despedida de um ano marcado por desastres naturais e incertezas económicas.
Redação / PP