Pelo menos 88 pessoas perderam a vida e 203 estão ainda desaparecidas devido ao incêndio mais mortífero na história da Califórnia, segundo um novo balanço das autoridades feito dois dias após as chamas terem sido dadas como dominadas.

O xerife do do condado de Butte, Kory Honea, disse na segunda-feira que ainda não se conhece ainda o paradeiro de 203 pessoas e confirmou mais um morto ao balanço de domingo.

O incêndio que começou a 08 de novembro destruiu mais de 13 mil casas no norte da Califórnia e consumiu cerca de 620 quilómetros quadrados de mato e madeira, destruindo a vila de Paradise, com 27 mil habitantes.

O elevado número de mortos levou o presidente norte-americano, Donald Trump, a pedir ao Congresso que tome medidas que "melhorem a gestão florestal e ajudem a prevenir incêndios", o que, defendeu, "colocaria um ponto final na constante devastação que ocorre na Califórnia"