O jornal britânico The Guardian publicou, esta terça-feira, a fotografia de um soldado australiano a beber cerveja de uma prótese da perna de um talibã morto. O soldado das forças especiais australianas ainda estará no ativo.

Tudo terá acontecido num bar clandestino montado no quartel das forças especiais australianas, chamado Fat Lady’s Arms, em Tarin Kowt, na capital da província de Oruzgan, em 2009.

Numa outra foto publicada pelo The Guardian, o mesmo soldado aparece acompanhado de um outro a fazer uma dança com a prótese. De acordo com a publicação, a imagem vem confirmar os rumores da conduta duvidosa das forças especiais australianas.

A prótese terá sido obtida durante um ataque das forças especiais australianas a um complexo das forças Talibã em Kakaarak, na região de Oruzgan, em abril de 2009. Terá então sido levada pelos soldados e acabaria por se tornar numa mascote da equipa das forças especiais, sendo ocasionalmente utilizada para beber cerveja por membros da equipa.

A notícia vem no seguimento do relatório de Brereton, que dá conta de terem acontecido 39 homicídios de civis e prisioneiros afegãos, entre 2005 e 2016, pelas forças especiais australianas.

Recorde-se também que esta publicação surge durante uma polémica entre o Governo australiano e a China, depois de primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, ter exigido um pedido de desculpas da China por uma publicação na rede social Twitter divulgado por um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês.

A controversa publicação de Zhao Lijian era acompanhada por uma fotografia em que um soldado com uniforme militar e capacete com a bandeira australiana segura uma faca ensanguentada no pescoço de uma criança descalça, cuja imagem está desfocada, que está agarrada a uma ovelha branca.