Nem chegou a aquecer o lugar. Após ter sido empossado como Diretor-Geral das Migrações do novo governo paraguaio a 17 de agosto, um alto cargo sob  alçada do Ministério do Interior, o advogado Julian Agustin Vega Insfrán demitiu-se após ter sido acusado por uma tradutora de lhe ter "apalpado a coxa".

O incidente terá ocorrido na semana passada, já que Vega Insfrán chegou à ilha Formosa, Taiwan, antes do início da visita presidencial que Mario Abdo Benítez efetua ao território, onde assinala esta quarta-feira o Dia Nacional com a homóloga Tsai Ing-wen.

As relações bilaterais entre os dois estados têm 60 anos e o Paraguai é um dos apenas 17 países que reconhece a independência de Taiwan face à China e o único da América do Sul. Depois, a importância do comércio bilateral é fulcral para os paraguaios, que exportam muita carne de vaca e importam tecnologia.

Dada a importância diplomática da visita do novo presidente paraguaio, inclusive para Taiwan, que acarinha como ninguém os representantes dos poucos estados que reconhecem a sua independência face à China, o caso de Vega Insfrán criou um embaraço difícil de desenlear.

Para acompanhar o agora ex-Diretor-Geral quando chegou à ilha localizada a sudeste da China, o governo de Taiwan contratou uma tradutora, que acusou Vega Insfrán de comportamento inapropriado por lhe ter apalpado a coxa.

Falei-lhe e expliquei-lhe que era um costume nosso. Toquei-lhe na coxa e isso incomodou-a. Foi diante de muita gente", afirmou o ex-Diretor-Geral à Rádio ABC Cardinal do Paraguai, defendendo que tudo não passou de um "mal-entendido".

O argumento de Vega Insfrán não convenceu. Muito menos o ministro do Interior paraguaio,Juan Ernesto Villamayor, que anunciou duras medidas contra o seu Diretor, após um caso "embaraçoso" e "inadmissível".

Vega Isfrán acabou por renunciar ao cargo. Em Taiwan, prossegue a visita oficial, com os dois presidentes a procurarem concertar as agendas comercial e política planeadas para o encontro.