A polícia francesa está a usar canhões de água e gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes do movimento dos "coletes amarelos" que se manifestam, este sábado, em Paris contra o presidente e o governo franceses, naquele que começou há semanas por ser um protesto contra o aumento dos preços dos combustíveis.

Os confrontos com a polícia estão a ter lugar na zona dos Campos Elísios. Os manifestantes já tinham avisado que não iriam ficar limitados ao perímetro do Campo de Marte, ao pé da Torre Eiffel, proposto pelo governo para a manifestação agendada para a manhã deste sábado.

Depois dos protestos, que decorreram durante a semana, este sábado, são esperadas 35 mil pessoas nos principais eixos rodoviários da capital, vindas de todas as partes França.

A segurança em Paris foi reforçada com mais três mil polícias nas ruas. Há também perímetros de segurança nos locais mais emblemáticos como os Campos Elísios, o Palácio do Eliseu e a Assembleia Nacional.

Vários autocarros não circulam e algumas estações de Metro também estão fechadas durante todo o dia.

Os "coletes amarelos" são um movimento criado nas redes sociais. Protestavam inicialmente contra o aumento dos combustíveis, mas agora o presidente Emmanuel Macron é o alvo principal, o representante da degradação das condições de vida sentida pelas classes médias.