Uma explosão numa rua pedonal no centro de Lyon, nesta sexta-feira, fez, pelo menos, 13 feridos, entre eles uma menina de oito anos, assumem as autoridades francesas, havendo a suspeita de bomba.

Segundo a imprensa francesa e as agências noticiosas, treze pessoas estarão a ser assistidas no local, não sendo claro se se trata do número total de feridos. As autoridades, contudo, apenas confirmaram, até ao momento, oito feridos.

Surgiram notícias de que havia registo de uma segunda explosão em Lyon, mas a perfeitura da região de Auvergne-Rhône-Alpes desmentiu, via twitter, dizendo que se tratava de "falsas informações". 

Autoridades citadas pela agência noticiosa France Press assumiram a existência de um pacote suspeito. Já uma fonte policial citada pelo Le Figaro diz que se trata de uma bomba artesanal, que continha parafusos e pregos.

No momento do incidente, o presidente Emmanuel Macron, que concedia uma entrevista a um jovem youtuber francês, referiu-se ao incidente como um "ataque", que "não causou vítimas mortais", mas sem querer alongar-se em mais comentários sobre o sucedido.

A secção antiterrorista do Ministério Público de Paris já assumiu a investigação.

A explosão registou-se na rua Victor Hugo, pelas 18 horas (hora local), junto a uma padaria/pastelaria.

Segundo a imprensa francesa, as autoridades seguem a pista de um homem, que circulava de bicicleta e que ali terá colocado o pacote suspeito. A polícia revelou a imagem do possível autor do ataque e deixou um contacto para as pessoas ligarem caso tenham alguma informação que possa ser crucial à investigação.

O ministro francês do Interior, Cristophe Castaner, pediu o reforço da segurança em locais públicos, nomeadamente aqueles onde possam ocorrer eventos desportivos, culturais e religiosos.

Emmanuel Macron utilizou a rede social twitter para lamentar o sucedido e demonstrar apoio aos familiares das vítimas.