Uma investigação inédita da agência francesa de Segurança Alimentar, do Meio Ambiente e do Trabalho (Anses), publicada nesta quarta-feira, detetou glifosato entre os 60 químicos tóxicos encontrados nas fraldas descartáveis para bebés à venda em França.

Trata-se do herbicida mais vendido no mundo e que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), pode causar cancro nos humanos.

Segundo o relatório, em algumas marcas, os limites autorizados de elementos químicos são mesmo ultrapassados. Químicos esses que, na presença de urina, “entram em contacto direto e prolongado com a pele dos bebés”.

Os 60 químicos tóxicos foram divulgados pelo diário francês Le Monde.

Consequentemente, foram dados 15 dias aos fabricantes para eliminarem as substâncias perigosas encontradas nas fraldas para bebés, marcas essas que não estão apenas à venda em França.

A Anses não divulgou, porém, os nomes das marcas testadas, mas assume que foram analisadas as 23 marcas disponíveis no mercado francês nos últimos dois anos.

Entre as substâncias há muitos perfumes, que podem causar alergias, mas há também matérias-primas altamente tóxicas, ou resultantes da produção, como, por exemplo, dioxinas, potencialmente cancerígenas de acordo com a OMS, furanos, derivados do cloro ou hidrocarbonetos habitualmente encontrados no tabaco.

Conhecido o relatório, o governo francês, através dos ministros do Ambiente, da Saúde e da Economia, convocou uma reunião de emergência com os fabricantes e distribuidores de fraldas.

/ MP