Naomi Musenga, de 22 anos, pediu uma ambulância porque estava com dores fortes no estômago, mas o operador de serviço de emergência gozou com a mulher e o pedido foi ignorado. 

A gravação da chamada de emergência mostrou que o operador ignorou o pedido de socorro da mulher, que acabou por morrer horas depois de fazer a chamada, em Estrasburgo, França. 

Vou morrer", disse Naomi Musenga, na chamada.

 

"Vai morrer de certeza, um dia, como toda a a gente", respondeu o operador. 

Na gravação, de três minutos, Musenga - numa voz muito fraca - tem dificuldades em descrever a dor que sente. 

O operador disse-lhe ainda que ia desligar a chamada, visto que Naomi não estava a conseguir explicar o que tinha. Aconselhou-a então a ligar para outro serviço de emergência e garantiu que não ia fazer esse pedido por ela. 

Na gravação, percebe-se ainda que o operador transferiu a chamada para outro colega, que também gozou com o pedido de socorro. 

Posteriormente, a mulher ligou para o SOS Médecins e acabou por ser levada para o hospital, onde sofreu um ataque cardíaco. Morreu horas depois, de um "choque hemorrágico que resultou numa falha múltipla nos órgãos", de acordo com o jornal francês Le Monde

O caso aconteceu a 27 de dezembro, mas só agora é que veio a público, depois de ter sido divulgada a gravação, que foi obtida pelos familiares da vítima e publicada por um site de notícias local. 

A ministra da Saúde francesa, Agnès Buzn, reagiu no Twitter, confessando-se "profundamente indignada" pelo caso e exigindo uma investigação.