O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, confirmou a intenção do governo em aumentar os impostos sobre os combustíveis a partir de janeiro.

Se durante o ano houver um aumento do preço da matéria-prima, então podemos voltar aos níveis da taxa que foi fixada para o dia 01 de janeiro”, disse o chefe do governo francês às estações RMC-BFMTV.

O primeiro-ministro acrescentou que se o preço da matéria-prima subir devido a fenómenos “não controláveis” as taxas suplementares não “serão aplicadas”.

Édouard Philippe disse ainda que está disposto a receber uma “delegação que seja representativa” do movimento de contestação “coletes amarelos” que protesta contra o aumento do preço dos combustíveis.

Os "coletes amarelos" são um grupo organizado através das redes sociais. Funciona à margem de sindicatos ou de partidos, mas conta já com o apoio de 74% da população, de acordo com uma sondagem a que a agência Reuters teve acesso. 

A onda de protestos violentos contra o aumento do preço dos combustíveis já fez uma vítima mortal.