Os porta-vozes da delegação oficial dos 'coletes amarelos' serão recebidos na sexta-feira pelo primeiro-ministro francês Édouard Philippe, na véspera da terceira etapa da sua mobilização, anunciaram representantes do movimento.

Depois de dois representantes terem sido recebidos na terça-feira pelo ministro da Transição Ecológica, Édouard Philippe quer agora um encontro na sexta-feira, às 14:00 (13:00 em Lisboa), indicaram porta-vozes da delegação oficial dos 'coletes amarelos' num comunicado enviado à agência de notícias France-Presse, informação já confirmada pelo Governo.

O movimento dos 'coletes amarelos' surgiu inicialmente como protesto contra o aumento dos combustíveis, mas alargou-se com o descontentamento em relação a várias medidas do presidente francês, Emmanuel Macron.

A revisão em baixa de todos os impostos" e a "criação de uma assembleia de cidadãos" para discutir a transição ecológica são algumas das questões que o movimento considera pertinentes.

As exigências incluem ainda a abolição do Senado, a baixa dos encargos patronais e por um aumento dos salários mínimos e das reformas.

Um grupo de oito porta-vozes foi designado na segunda-feira para "estabelecer um contacto sério e necessário" com o Governo e para colocar uma série de exigências em cima da mesa.

Dois deles, os iniciadores do movimento 'coletes amarelos' Priscillia Ludosky e Eric Drouet, foram recebidos na terça-feira, a pedido de Macron, pelo ministro da Transição Ecológica, François de Rugy.

Já Édouard Philippe iniciou esta manhã dois dias de consultas para a "grande concertação", pretendida por Macron para tentar encontrar novas respostas ao movimento de 'coletes amarelos'.

O primeiro-ministro recebe hoje e na sexta-feira os membros do Conselho Nacional de Transição Energética, um órgão consultivo sobre ambiente e energia, que integra 50 membros de diversas origens, desde empregadores, sindicatos e organizações ambientais, até à sociedade civil, eleitos locais e parlamentares.