professor francês tinha sido esfaqueado

L'Express

"Novas investigações estão em curso para determinar as motivações que levaram [o professor] a mentir. É muito cedo para dizer", segundo a Procuradoria. 



“O facto de ele ter dito que o atacante tinha chegado de mãos vazias e que tinha arranjado as armas no local revelou-se estranho. Vamos agora avaliar a sua personalidade para apurar se o sujeito tem fragilidades mentais”, disse uma fonte policial ao jornal francês.