Pelo menos 24 pessoas ficaram feridas, este sábado, incluindo dois polícias, em Paris, nos protestos dos designados “coletes amarelos”. Só na capital francesa, foram detidas 69 pessoas, segundo um balanço do Ministério do Interior.

O protesto dos “coletes amarelos” juntou cerca de 110 mil pessoas em toda a França, 8.000 dos quais em Paris. No sábado da última semana, eram 244.000 no total. O protesto que começou por contestar os aumentos dos preços dos combustíveis, depressa se tornou em manifestações de contestação à política de Emmanuel Macron, com muitos manifestantes a pedirem, este sábado, a sua demissão. 

Nos Campos Elísios, em Paris, a polícia tentou controlar os manifestantes através do lançamento de granadas de gás lacrimogéneo, canhões de água e perímetros de segurança. O resultado é muito mobiliário urbano destruído. 

Os "coletes amarelos" são um movimento cívico à margem de partidos e sindicatos, criado nas redes sociais e alimentado pelo descontentamento da classe média-baixa.

Surgiu inicialmente como protesto contra o aumento dos combustíveis, mas foi alargando o descontentamento em relação a várias medidas do Presidente francês, Emmanuel Macron.