O atacante que matou três pessoas e feriu 16 outras, acabando abatido pela polícia era "um pequeno delinquente que passou à ação", segundo as palavras do ministro francês do Interior, Gérard Collomb.

Radouane Lakdim, jovem franco-marroquino, nasceu a 11 de abril de 1992 e que foi condenado duas vezes, em 2011 e em 2015, por crimes de delito comum, segundo informou o procurador de Paris, François Molins, em conferência de imprensa, já depois das 19:00 de Lisboa.

Em 2016 e 2017, o jovem foi monitorizado pelos serviços secretos, não tendo revelado "nenhum sinal de alerta de uma possível passagem a ato terrorista".

Entretanto, foi detida uma pessoa "próxima, que partilhou a vida" com o atacante.

O jornal LaDepech  refere que um vizinho via Radouane Lakdim como um "rapaz calmo que sempre tem uma palavra gentil".

Tinha 26 anos, era de origem marroquina. Outros jornais franceses indicam que foi preso em 2016, por posse de arma sem licença. 

Segundo o LaDepeche, Lakdim era um homem de muitas caras e particularmente ativo nas redes sociais islâmicas, seguidas pelos serviços de segurança franceses.

Morava com os pais e com as irmãs na cidade de Ozanam, perto de Carcassonne. Admite-se que tenha feito uma viagem à Síria.

Na manhã desta sexta-feira, Lakdim acompanhou uma de suas irmãs à escola. Horas depois, roubou um carro, matando um dos ocupantes e seguiu espalhando o terror até ser abatido no supermercado Super U, em Trèbes. Testemunhas dizem que quando entrou gritou "Allah Akbar" e afirmou ser "um soldado do Estado Islâmico". Ao que tudo indica até ao momento, agiu sozinho. 

/ Notícia atualizada às 19:26