O Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Paris, igreja entregue à comunidade portuguesa na capital francesa, vai acolher três obras de artistas diferentes na "Nuit Blanche", que se realiza na noite de 02 de outubro.

A vida da cidade deve entrar no espaço e na vida de Igreja e, por isso, aceitei [a adesão à 'Nuit Blanche']. Fruto deste bom acolhimento, foram-se agregando mais obras e vamos acolher três manifestações, três instalações artísticas que é um caso único", disse Nuno Aurélio, reitor do Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Paris, em declarações à agência Lusa.

Esta igreja, que se situa no 19.º bairro da capital francesa, foi escolhida para fazer parte do percurso da iniciativa "Nuit Blanche" que todos os anos, durante uma noite, reúne artistas e espetáculos em sítios insólitos da capital francesa. Apesar de normalmente integrar igrejas, as escolhidas ficam tradicionalmente no centro da cidade, algo que mudou este ano.

Normalmente na 'Nuit Blanche' há manifestações nas igrejas no centro de Paris, mas, nesta edição, a organização decidiu dar a conhecer outros lugares e, na zona Norte, há o Santuário de Nossa Senhora da Fátima, à qual [a lusodescendente] Sandrina Martins, a cocomissária do evento, tinha uma ligação, já que tem origens portuguesas", afirmou François Drouin, presidente da Associação Cultura e Fé, parceira da "Nuit Blanche".

Sandrina Martins, lusodescendente e atual diretora-geral do Carreau du Temple, um espaço público em Paris que acolhe anualmente cerca de 230 eventos artísticos, culturais e desportivos, foi convidada pela Câmara Municipal de Paris para ser cocomissária da "Nuit Blanche", em 2021.

No Santuário de Nossa Senhora de Fátima vão ser expostas três obras com temáticas diferentes.

Uma instalação à volta do movimento do corpo, da autoria de Doria Belanger e Sandrina Martins, outra instalação chamada "Plastic Vortex", com 800 garrafas de plástico de forma a alertar para a poluição dos oceanos, da autoria de Marie-Laure Bruneau, e ainda a obra "WaxWorm", de Alex Zelina e Radovan Dranga, também sobre a poluição.

A igreja poderá ser visitada a partir das 19:30, ficando aberta até às 02:00.

A obra "Plastic Vortex", instalada na entrada da igreja, vai permanecer mais uma semana, tendo um papel "pedagógico", segundo Nuno Aurélio, junto da comunidade de crentes para alertar para os perigos da poluição.

Esta é também uma forma de dar a conhecer este edifício, cuja história é desconhecida para a maior parte dos parisienses e crentes que aí acorrem.

"Esta igreja tem uma história extraordinária. Foi construída após um voto pronunciado por quatro mil católicos que estavam na Catedral de Notre Dame durante a Segunda Guerra Mundial, e prometeram construir uma igreja caso Paris não fosse destruída pelos bombardeamentos alemães. Paris foi protegida e a igreja dedicada a Nossa Senhora foi construída", explicou François Drouin.

Cerca de 15 anos após a sua construção, esta igreja foi fechada e chegou mesmo a ponderar-se a sua demolição, quando se construiu um hospital nas imediações, mas a diocese de Paris impediu a destruição e decidiu entregá-la aos cuidados da comunidade portuguesa.

Esta igreja é ainda hoje conhecida como a igreja consagrada à Libertação de Paris.

"O convite que fazemos e a expectativa que temos é que esta 'Nuit Blanche', entendida como um espaço aberto, também toque estes espaços menos habituais e onde às vezes não se entra por medo, por indiferença ou até preconceito. Espero que isto possa interessar a todos", concluiu Nuno Aurélio, deixando o convite a crentes e não crentes para visitarem a igreja.

Agência Lusa / BMA